Domingo, 14 de Abril de 2024 18:43
Geral Pará

Sespa realiza mais de 80 atendimentos em exames preventivos de câncer do colo do útero

Ação realizada neste sábado (18) visou sensibilizar as mulheres a realizarem o exame com frequência e levar orientações sobre a doença

18/03/2023 17h00
Por: Redação Fonte: Secom Pará
Crédito: Melina Marcelino - Ascom Sespa
Crédito: Melina Marcelino - Ascom Sespa

Maria Luiza Ribeiro, de 56 anos, diarista, foi realizar o exame preventivo, na manhã deste sábado (18), no mutirão de exames preventivos do colo do útero (PCCU) e biópsias promovido pela Unidade de Referência Especializada Materno Infantil (Uremia). Segundo a diarista, ela faz o exame com frequência para se prevenir da doença.

"Faço preventivo todos os anos e como deu alteração no meu, vou agora fazer a biópsia. Por isso é importante que todas as mulheres façam o preventivo. Minha mãe, com 80 anos, nunca fez preventivo e teve câncer de colo de útero, então, a gente precisa se prevenir," conta Maria Luiza.

Crédito: Melina Marcelino - Ascom Sespa
Crédito: Melina Marcelino - Ascom Sespa
A ação foi realizada pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), por meio do 1º Centro Regional de Saúde e da Unidade de Referência Especializada Materno Infantil (Uremia), em alusão à Campanha Março Lilás, de prevenção do câncer do colo do útero. O mutirão também vai ser realizado no dia 25 de março, na Uremia, na Av. Alcindo Cacela, 1421, de 8h às 15h.

Neste primeiro dia de mutirão foram realizados 78 exames preventivos de câncer do colo do útero e 14 biópsias, com 12 servidores dedicados à ação. 

Crédito: Melina Marcelino - Ascom Sespa
Crédito: Melina Marcelino - Ascom Sespa
Elane Oliveira, diretora da Uremia, explica que a iniciativa objetiva sensibilizar as mulheres a realizarem o preventivo com frequência e levar orientações sobre o câncer de colo de útero. “Hoje estamos de portas abertas recebendo mulheres de todas as idades para fazer o exame preventivo do colo do útero. Se a médica notar alguma alteração, essa paciente já vai fazer a biópsia, já sai com o diagnóstico e vai ser encaminhada para o tratamento. Além dos exames, também estamos promovendo palestras e orientações sobre como prevenir o câncer”.

Patrícia Silva tem 32 anos, já é paciente da Uremia e não pode fazer o preventivo na data marcada, mas com o mutirão ela conta que pode ficar com os exames atualizados. 

"Eu trabalho como motorista de aplicativo e acabei perdendo minha consulta, por isso, aproveitei o mutirão de hoje pra fazer meu preventivo. Sei que temos que fazer todos os anos, a gente nunca sabe o que pode acontecer, por isso, precisamos sempre ficar informadas sobre como prevenir as doenças", conta Patrícia. 

Crédito: Melina Marcelino - Ascom Sespa
Crédito: Melina Marcelino - Ascom Sespa
Como março é considerado o Mês da Mulher, nada mais adequado que uma campanha que alerta para o câncer de colo de útero, doença grave que, com diagnóstico precoce, pode ser curada. Trata-se de uma doença que vitima muitas mulheres no país, principalmente na região Norte, onde é o segundo tipo de câncer mais comum.

O câncer de colo do útero é um tumor que se desenvolve a partir de alterações no colo uterino, que se localiza no fundo da vagina. Essas alterações são chamadas de lesões precursoras, e podem ser totalmente curáveis na maioria das vezes. Se não tratadas, após muitos anos podem se transformar em câncer.

Prevenção -O exame preventivo ao câncer do colo do útero é realizado na Atenção Básica de Saúde. As mulheres que apresentam algum tipo de alteração em seus exames como lesões de alto grau são encaminhadas às unidades de média e alta complexidade da rede estadual de saúde para realizar colposcopia e biópsia para assim ter um diagnóstico e tratamento precoces.

No Estado do Pará, em 2022, foram registrados 534 casos de neoplasia maligna de colo do útero e carcinoma in situ do colo do útero (cérvix). Em 2021, foram 667 casos.

É importante destacar que os exames preventivos de câncer de colo de útero são atribuições da Atenção Básica, e devem ser garantidos pelas gestões municipais. Conforme a necessidade, os usuários são encaminhados para tratamento com cirurgia, radioterapia ou quimioterapia no Hospital Ophir Loyola (HOL) e nas Unidades de Alta Complexidade do Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA) e Hospital Regional de Tucuruí (HRT), além do atendimento em oncologia do Hospital Universitário João de Barros Barreto, de gestão federal.

Vacinação -A vacinação contra o Papilomavírus Humano (HPV), que pode causar lesões cancerígenas, ainda é uma das principais ferramentas para evitar o câncer do colo do útero, devendo ser feita em meninas e meninos de 9 aos 14 anos.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.